Aluízio Ferreira Palmar, nasceu em 24 de maio de 1943, em São Fidélis, Estado do Rio de Janeiro.

Em 1963/64, cordenou o Programa Nacional de Alfabetização de Adultos, na Baixada Fluminense, foi dirigente do PCB no estado do rio de janeiro, fundou o MR8 e devido à sua militância revolucionária foi preso e banido do país, após ter sido trocado, juntamente com outros 69 presos políticos,  pelo Embaixador da Suíça no Brasil.

No Chile, governado pela Unidade Popular, ingressou na Vanguarda Popular Revolucionária. Com o golpe militar no Chile, Aluízio Palmar passpu oito anos entre o exílio e a clandestinidade. Em agosto de 1979, após a Anistia Política, deu início a carreira jornalística que completou 42 anos.

Aluízio Palmar, reside em Foz do Iguaçu, Paraná, foi editor do jornal Nosso Tempo, é cidadão honorário de Foz do Iguaçu, presidente do Centro de Direitos Humanos e Memória Popular, membro do Conselho Permanente dos Direitos Humanos do Paraná e membro do Comitê Estadual  Memória Verdade e Justiça, tendo recebido a Medalha Chico Mendes de Resistência, no ano de 2020.