UM CASO DE AMOR NA GUERRILHA. A HISTÓRIA DA ÍNDIA ATAMILCA E O SALVA VIDAS WÁLTER

A índia Atamilca e o salva-vidas Wálter. Uma história de amor na guerrilha Atamilca trabalhava como doméstica na casa de um militar na cidade de Letícia, fronteira do Brasil com a Colômbia. Em certa ocasião, seus patrões se mudaram para o Rio de Janeiro e a levaram junto. Num domingo de muito calor, após terminar …

“EU ESTIVE ALÉM DA DOR. DAÍ PARA A LOUCURA FOI A COISA MAIS NATURAL DO MUNDO”, SILVIA MONTARROYOS

“A ditadura foi uma fábrica de mortos e uma fábrica de loucos. Como eu, muita gente enlouqueceu na tortura. Muitos outros precisaram [de suporte psiquiátrico] depois da prisão”, diz Silvia Montarroyos Na prisão, Silvia Montarroyos sofreu diferentes tipos de tortura. “Eram bofetões, queimaduras de cigarro… Me colocaram em uma jaula de uns 80 cm quadrados. …

LISTA DE PRISIONEIROS POLÍTICOS TORTURADOS PELA DITADURA MILITAR. ANISTIA INTERNACIONAL 1972

“O inquérito da Amnistia Internacional às denúncias de tortura no Brasil foi realizado de abril a maio de 1972. Como o Brasil sempre se recusou a permitir que representantes de organizações como a Organização das Nações Unidas Estados e Anistia Internacional entrarão no Brasil para investigar relatos de tortura, o presente relatório foi compilado a …

PANFLETOS CLANDESTINOS COM DENÚNCIAS DE TORTURAS AOS PRESOS POLITICOS DA DITADURA MILITAR

O período ditatorial brasileiro foi marcado por notórios abusos aos direitos humanos, perpetrados pelas forças repressivas, dentro de uma intrincada estrutura de poder que uniu órgãos dedicados à vigilância social, unidades militares, polícia civil e política. Neste contexto, a sistematização e divulgação das denúncias acerca dos abusos estatais teve papel determinante no desgaste do regime.

TORTURAS E ABORTO NO QUARTEL DO EXERCITO EM VOLTA REDONDA. RELATO DA ESTUDANTE DE ARQUITETURA E MILITANTE DA JUVENTUDE OPERARIA CATOLICA

Estrella Dalva Bohadana era estudante de arquitetura e militante da Juventude Operaria Católica, quando foi presa em dezembro de 1970. Logo apos sua prisão, foi levada para o 1º BIB, em Volta Redonda. Na primeira noite no quartel do Exército recebeu tapas no rosto, socos no estômago, “telefones” e começaram os choques nos seios, nas …

RELATÓRIO FINAL DA COMISSÃO MUNICIPAL DA VERDADE DE JUIZ DE FORA

“Este relatório é fruto do trabalho conjunto de pessoas e instituições que vislumbraram o potencial histórico e documental nas memórias daqueles que vivenciaram a repressão em Juiz de Fora, ou que saíram daqui para defender a democracia e se tornaram vítimas em outras localidades. Por isso, agradecemos a todos aqueles que confiaram na Comissão Municipal …