SEQUESTRO DO EMBAIXADOR DA SUIÇA. MENSAGENS TROCADAS ENTRE A DITADURA E A VANGUARDA POPULAR REVOLUCIONÁRIA, NOS 47 DIAS DE NEGOCIAÇÃO

No dia 07 de dezembro de 1970, o Embaixador da Suiça no Brasil foi sequestrado por um comando da VPR. Durante 47 dias, Giovani Bucher ficou em mãos dos revolucionarios. A demora nas negociações, foi devido as negativas da ditadura em libertar determinados presos sob alegações diversas, além de que alguns presos políticos cederam às …

CENTRO DE INFORMAÇÕES DO EXÉRCITO (CIEX), CONTROLOU E DIFUNDIU INFORMAÇÕES SOBRE OS EXILADOS NO CHILE

Quando o companheiro Gregório viajou pra República Popular Democrática da Coréia, ele passou pra mim a responsabilidade de cuidar/administrar as coisas da Vanguarda Popular Revolucionária – VPR, no Chile e representar a Organização perante as demais organizações e Embaixada de Cuba , em Santiago. Eu achava que essa era uma informação fechada, até que tive …

A “SOCIEDADE PESQUEIRA ALTO URUGUAI LTDA” EM TRÊS PASSOS-RS COMO EXEMPLO PRIVILEGIADO DE RESISTÊNCIA CAPILARIZADA À DITADURA NO BRASIL

DEMOCRACIA, DIREITOS HUMANOS E DITADURA MILITAR NO BRASIL: A CAPILARIZAÇÃO DA VANGUARDA POPULAR REVOLUCIONÁRIA NO INTERIOR DO RIO GRANDE DO SUL POR MEIO DA SOCIEDADE PESQUEIRA ALTO URUGUAI E A TRAJETÓRIA DE ROBERTO ANTONIO DE FORTINI COMO EXEMPLOS DE (MICRO) RESISTÊNCIA AO REGIME DITATORIAL elaborada por CLARISSA MERTZ A Sociedade Pesqueira Alto Uruguai era a …

UM DRAMA PESSOAL NOS ANOS DE CHUMBO. DEPOIMENTO DO MARINHEIRO CLAUDIO DE SOUZA RIBEIRO, FUNDADOR DA VANGUARDA POPULAR REVOLUCIONÁRIA.

O cabo Claudio de Souza Ribeiro, foi um dos membros mais ativos da Associação dos Marinheiros e Fuzileiros Navais, que ele ajudou a fundar. Após o movimento, que ficou conhecido como “A Revolta dos Marinheiros”, em 1964, Claudio se integrou na luta armada contra a ditadura e durante o período que passou na clandestinidade, viveu …

CARTA DE CARLOS LAMARCA AOS MEMBROS DA VANGUARDA POPULAR REVOLUCIONÁRIA ASILADOS NO CHILE

Logo após o sequestro do Embaixador na Suíça no Brasil, o comandante da VPR, Carlos Lamarca, enviou aos presos políticos libertados, uma extensa carta, escrita de próprio punho, em 01 de fevereiro de 1971. Na carta, Lamarca faz alguma recomendações e passa algumas instruções.