CIA. DOCAS DE SANTOS. RESPONSABILIDADE EMPRESARIAL NA REPRESSÃO AOS TRABALHADORES NA BAIXADA SANTISTA

Trata o presente texto de analisar a relação entre o Estado e a Cia. Docas de Santos no período de 1961 a 1988. O envolvimento da empresa nas práticas de vigilância, controle e repressão, em consonância com a ditadura e contra os trabalhadores, evidencia aspectos ainda pouco tratados pela historiografia brasileira, em particular as ações …

UM ANO APÓS A ANISTIA, O MOVIMENTO SINDICAL AINDA ERA MONITORADO PELA AERONÁUTICA

Os trabalhadores foram a principal parcela da população alvo das perseguições políticas e de diversas medidas tomadas pelo governo ditatorial militar como ataques aos seus órgãos representativos, sistemáticas prisões, torturas, execuções, desaparecimentos, bem como a implantação de uma série de medidas que levaram ao arrocho salarial e à piora das condições de trabalho. Esse cenário …

MOVIMENTO CONTRA A CARESTIA. A LUTA DAS MULHERES DA PERIFERIA CONTRA A DITADURA

A PERIFERIA NA LUTA CONTRA A DITADURA Pouco se fala sobre o histórico de resistência da periferia contra o regime ditatorial. Menos ainda do papel das mulheres da quebrada nas lutas sociais da época. Mas foi dos encontros de bordado entre mulheres nas paróquias das periferias da Zona Sul de São Paulo que originou-se um …

TELEGRAMA ENVIADO PELO ITAMARATI À CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS, TENTANDO EXPLICAR A MORTE DE JOÃO BATISTA FRANCO DRUMOND

Em anexo e no formato PDF, telegrama enviado à Comissão Interamericana de Direitos Humanos  – CIDH , pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil, tentando explicar a morte de João Batista Drumond. No telegrama, datado de 05 de julho de 1978, a autoridade da ditadura militar faz malabarismos para explicar a morte de Drumond, diante …