Geral

A RESISTENCIA A DITADURA NO OESTE DO PARANA. LAURO CONSENTINO, O DENTISTA DA GUERRILHA

http://youtu.be/k0zL2Gpvaqw

 


Nome: Lauro Consentino Filho

Profissão: Dentista

Idade: 71 anos

Em 1964, LAURO CONSENTINO FILHO era o tesoureiro do PCB e morava em Curitiba, onde cursava Odontologia na UFPR. Nascido em Morretes, foi eleito tesoureiro do DCE que era presidido por Frederico Carlos Marés. Com a formatura em 1968, Lauro comprou um consultório com o ajuda do pai, se estabeleceu em Medianeira e começou a trabalhar, sempre mantendo contato com os companheiros de militância estudantil.

“Nessa época, Zapata (codinome do jornalista Fabio Campana) me apresenta André (Aluizio Palmar) que me convida para participar de uma organização, que ainda não tinha nome, mas era o MR-8”, lembra Lauro. A proposta era montar uma guerrilha na fronteira. “Eu era contra a luta armada”. Mesmo assim, aceitou esconder um carregamento de armas no consultório, que alguém veio buscar dias depois para jogar no rio próximo à cidade.

Tal ajuda fez com que fosse preso dois meses depois, em Novembro de 1969, uma vez que o Exército achou o armamento no rio e expôs o arsenal na rodoviária. Levado para Cascavel, Lauro em seguida foi transferido para Curitiba, permanecendo na DOPS trinta dias, incomunicável. Sem provas de seu envolvimento com a tentativa de organização da guerrilha no oeste do Paraná, Lauro foi solto, após sofrer ameaças dos agentes, de que deveria deixar o Estado para a segurança dele e de sua esposa.

Decidiu permanecer em Medianeira, “pois era o único dentista da cidade”. Filiou-se ao MDB e permaneceu no PMDB. Em 1982 participou da campanha que elegeu José Richa governador. Convidado para integrar o governo como chefe da odontologia, aceitou e se transferiu com sua família para Curitiba. Até hoje continua trabalhando no Estado, no Centro de Atendimento Integral ao Fissurado Lábio Palatal (Afissur).

Aluizio Palmar

Aluízio Ferreira Palmar, nasceu em 24 de maio de 1943, em São Fidélis, Estado do Rio de Janeiro. Em sua juventude estudou na Universidade Federal Fluminense e, devido à sua militância revolucionária foi preso e banido do país, após ter sido trocado, juntamente com outros 69 presos políticos pelo Embaixador da Suíça no Brasil. Depois de passar oito anos entre o exílio e a clandestinidade, deu início, após a Anistia Política, a carreira jornalística que completou 50 anos.
Aluízio Palmar foi consultor da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão estadual da Verdade do Paraná, tendo seu trabalho de pesquisador dado origem ao site Documentos Revelados

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.