INVESTIGAÇÃO SOBRE POSSIVEL CENTRO DE ESPIONAGEM NAZISTA EM FOZ DO IGAUÇU

De 1937 à 1944, o então Pároco da Prelazia de Foz do Iguaçu, Monsenhor Dom Manoel Konner penou nas mãos das autoridades da época. Assim que o Brasil entrou na guerra alemães, italianos e japoneses que moravam no Brasil foram perseguidos e muitos chegaram a ser presos. Contra Dom Manoel Koenner havia a acusação de …

BOB MARLEY FOI BARRADO E PROIBIDO DE SE APRESENTAR NO BRASIL

Em 1880, Bob Marley, acompanhado por sua banda vieram ao Brasil e quando a aeronave fez escala em Manaus para reabastecer , os militares desconfiaram daquelas “figuras estranhas” e pediram explicações sobre o motivo da viagem. Depois de algum tempo, liberaram seus passaportes, mas, não concederam vistos de trabalho. Finalmente, restou a Bob Marley, então, …

ESCRITURARIA FOI PRESA, SOB ACUSAÇÃO DE TER PRONUNCIADO O NOME DE LAMARCA, EM FRENTE AO QUARTEL DE REALENGO

Durante a ditadura militar  certas palavras, quando ditas podiam significar prisão e até a morte. Entre as palavras que os militares consideravam malditas, estava Marighella, Brizola, Prestes, Comunismo, Socialismo, Lamarca. Em 1972, a escriturária da Gráfica Mondelo, Arlete da Silva,  estava nas proximidades do Quartel do Exército, em Realengo, Rio, quando  teve o azar de …

“LEVE MALA ESTAÇÃO IMEDIATAMENTE”. ESSE TEXTO NUM TELEGRAMA, MOVIMENTOU A DOPS DE CURITIBA

  Quando em 1939 foi iniciada a segunda guerra, o Brasil prudentemente manteve-se neutro, pois o governo brasileiro nesta época mantinha boas relações com a Alemanha e a Itália, sendo que a tendência junto com os países do Prata, Argentina e Uruguai, era de manter uma situação de neutralidade, o que economicamente mais tarde foi muito …

GOLPE DE 1964 INTERROMPEU A ALFABETIZAÇÃO DE 5 MILHOES DE ADULTOS

A tomada do poder pelos militares interrompeu a alfabetização de adultos no país. O Plano Nacional de Alfabetização (PNA) do Governo João Goulart estava para ser implementado, em fase de treinamento de aproximadamente mil monitores. Com o golpe, o PNA foi cancelado e os mentores passaram a ser perseguidos. Segundo o professor, o objetivo do …

SOBREVIVENTE DA CHACINA DE RECIFE CONTA TUDO. ÁUDIOS DA ENTREVISTA COM IRMÃO DE SOLEDAD BARRET

  No dia 16 de novembro de 2008 fui procurado por Jorge Barrett, irmão de Soledad e sobrevivente da chacina ocorrida em Pernambuco onde morreram seis militantes da Vanguarda Popular Revolucionária – VPR. Na ocasião gravei uma longa entrevista com o Jorge. Segurei durante esses três anos e quatro meses esse material arquivado em fitas …

DOIS DOCUMENTOS IMPORTANTES SOBRE A LUTA DOS MINEIROS DE CRICIUMA E AS ATIVIDADES DO PCB

Na história do trabalhismo sindical dos mineiros de Criciúma, o período compreendido entre dezembro de 1957 a 31 de março de 1964 representa a fase de militância em defesa dos mineiros, ocasião em que as péssimas condições de trabalho são frequentemente denunciadas. O sindicato passa a ser visto como o veículo que acolhia as denúncias …

VPR SP 1972. II AUDITORIA MILITAR. DOCUMENTO COM 676 PÁGINAS, CONTENDO MANDADOS DE PRISÃO, ATESTADOS DE ÓBITO, INTIMAÇÕES, PROCESSOS E SENTENÇAS . RECURSOS DOS ADVOGADOS

Trata-se de documentos diversos, arrolando militantes da VPR,  que fazem parte do acervo do STF e STM. O documento , num total de 676 páginas contem os atos jurídicos emitidos pelos tribunais de exceção e pelos advogados de defesa.   https://pt.scribd.com/document/562826079/VPR-SP-1972-Mandados-de-prisao-atestados-de-obito-intimacoes-processos-e-sentencas-II-Auditoria-Militar-Recursos-e-outros-atos-dos-advogados-de-de

CADERNOS DO POVO BRASILEIRO – VIOLÃO DE RUA, A REVOLUÇÃO BRASILEIRA ATRAVÉS DA ARTE

O Violão de Rua Movimento criado pelo enfrentamento entre esquerda e direita. Movimento marcado pelos poetas indo a rua para organizar a população brasileira para a revolução brasileira através de sua arte. O movimento romântico revolucionário influenciou foi grande influência durante os anos 60 e 70. os caderno Violão de Rua:poemas para a liberdade, organizados …

FALSO AGENTE DO SNI, FOI PRESO DANDO GOLPE DE ESTELIONATO EM COMERCIANTES DE JUIZ DE FORA

Durante os tenebrosos anos da ditadura militar, os agentes da repressão e da espionagem usavam e abusavam das carteirinhas que funcionavam como passaportes para regalias e arbitrariedades. Era comum os agentes usarem suas credenciais  para obter privilégios e até cometer estelionatos e chantagear as pessoas. O caso de Themistocles Soares Salles, que segue no documento …