“Terrorismo, Tortura e Morte no Brasil”, livro de Ricardo Brandão, sob a ótica da Aeronáutica

O ator do livro “Terrorismo, Tortura e Morte no Brasil, Ricardo Bradão, era estudante no Rio de Janeiro, foi preso em Mato Grosso e conduzido novamente a cidade carioca, onde permaneceu preso de maio de 1964 até 1969. Após se livrar de uma prisão no Rio, Ricardo voltou a Mato Grosso, mas foi pego pelo …

ÁUDIOS DE RELATOS DE TORTURA NA DITADURA MILITAR

O advogado criminalista e pesquisador Fernando Fernandes acessou todos os áudios com as gravações de julgamentos de presos políticos feitos pelo STM (Superior Tribunal Militar) de 1975 a 1979, durante a ditadura militar (1964-1985). Colaborando com o restabelecimento da Verdade, para que se faça Justiça e os torturadores respondam pelos seus atos, o portal DR …

No fio da navalha. Minha vida na clandestinidade e o retorno ao Brasil

Depoimentos sobre a torturas, quase todos nós fizemos. Elas estão registradas na imprensa, em livros, vídeos e nos relatórios das CVs. Mas, são poucos os relatos sobre os atropelos e tensões vividas na clandestinidade. Então, me deu vontade de compartilhar a minha experiência. Corria o ano de 1979, e eu morava no interior da Argentina, …

VPR SP 1972. II AUDITORIA MILITAR. DOCUMENTO COM 676 PÁGINAS, CONTENDO MANDADOS DE PRISÃO, ATESTADOS DE ÓBITO, INTIMAÇÕES, PROCESSOS E SENTENÇAS . RECURSOS DOS ADVOGADOS

Trata-se de documentos diversos, arrolando militantes da VPR,  que fazem parte do acervo do STF e STM. O documento , num total de 676 páginas contem os atos jurídicos emitidos pelos tribunais de exceção e pelos advogados de defesa.   https://pt.scribd.com/document/562826079/VPR-SP-1972-Mandados-de-prisao-atestados-de-obito-intimacoes-processos-e-sentencas-II-Auditoria-Militar-Recursos-e-outros-atos-dos-advogados-de-de

MOBILIZAÇÃO EM, 1980, DAS ENTIDADES CATÓLICAS EM SOLIDARIEDADE AOS INDÍGENAS E BÓIAS FRIAS DO PARANÁ

Nos anos oitenta, foram intensos os movimentos em solidariedade e apoio aos indígenas ameaçado de explsão de suas terras originária e também da miséria e exploração em que viviam os chamados ¨”trabalhadores boias frias”. Entre os divesos movimentoe que se mobilizaram, destacam-se àqueles ligados à Igreja Católicas

SOGRO DE ÁLVARO DIAS, EX-GOVERNADOR DO PARANÁ, JUIZ ALDO FERNANDES, FOI VÍTIMA DA DITADURA

Juiz de Direito, Aldo Fernandes, preso por duas ocasiões durante o período da ditadura militar, foi severamente prejudicado na sua vida profissional devido as suas posições divergentes ao regime . Teve seus direitos políticos cassados, logo após o golpe de 1 de abril de 1964 O Juiz de Direito da comarca de Londrina. Em 1964, …