DOSSIÊ COM 177 PÁGINAS ELABORADO PELA POLÍCIA FEDERAL EM 1977

  O dossiê é composto pelas pasta a e b. A pasta a se refere ao ano de 1977 e possui 177 folhas e a pasta b aos anos de 1978 a 1980 possui 202 folhas. O mesmo é composto por solicitação de informações, ofícios, recortes de jornal, solicitação de antecedentes, relatórios confidenciais, cópia de …

DOCUMENTO DESNUDA AÇÃO DO SERVIÇO DE ESPIONAGEM DO ITAMARATY

Documento do Centro de Informações do Exterior revela as ações dos espiões da ditadura militar lotados  na Embaixada do Brasil no Chile. O CIEX, foi uma agência de espionagem do Itamaraty  Naquele período, os punhos de renda da diplomacia do Barão de Rio Branco ganharam abotoaduras de chumbo. Diplomatas de vários escalões foram recrutados para compor …

EU ESTIVE NO INFERNO DURANTE 22 DIAS”. RELATO COMOVENTE DE UMA MÃE DE PRESOS POLÍTICOS

 “De madrugada no outro dia, bateram à minha na porta . Eram soldados com metralhadoras, invadiram a casa, mexeram em tudo e me levaram para o Dops de Niterói. Meu cachorro ficou preso dentro de casa, escondido debaixo da mesa como se soubesse o perigo de aparecer. Um homem me levou para o Rio.  Estive …

ENTREVISTA DEFINITIVA DE ALUÍZIO PALMAR

Este vídeo foi gravado no estúdio do DHPaz, em Curitiba. Considero esta, a minha entrevista mais completa, pois nela busquei la no fundo de minha memoria, fatos que o tempo e as normas de segurança na clandestinidade haviam dado conta de relevar. Falei do surgimento das dissidência dentro do PCB, do MR8 – o velho, …

1971, CARTA INÉDITA DE ZUZU ANGEL: “FUTURO MOSTRARÁ MEU FILHO COMO O TIRADENTES DA ÉPOCA DOS COMPUTADORES”

Terezinha, a destinatária da carta de Zuzu Angel , escrita em 17 de agosto de 1971, com meu irmão já morto, é a mulher de um general comandante da época. Alceu Amoroso Lima, intelectual, pensador católico, que envia uma correspondência para Zuzu Angel. Antonina Murat Vasconcellos, mãe da então militante perseguida, presa, torturada, hoje cineasta consagrada, Lucia Murat, …

AGENTES DA DITADURA PRENDEM IRMÃO DE MILITANTE DA VPR QUE FOI IDENTIFICAR CORPO NO IML

No dia 19 de outubro de 1969,  Francisco Araujo da Nóbrega, foi ate o Instituto Medico  Legal do Rio de Janeiro, fazer o reconhecimento e recolher o corpo de seu irmão Jose Araujo da Nóbrega, que segundo informou a repressão havia morrido por ter resistido a prisão.  Ao ir buscar o seu irmão  Jose Araujo …