Luta pela Anistia Resistência

CENSURA À PEÇA TEATRAL DE CHICO BUARQUE E RUI GUERRA

Vetado pela censura em 1973, a peça é inspirada na história de  Domingos Fernandes Calabar, mulato nascido em Pernambuco, condenado à morte por ter desertado as tropas portuguesas e lutado ao lado dos inimigos holandeses no século 17. Uma clara analogia com a situação brasileira durante os anos da ditadura e com a história de Carlos Lamarca, capitão do exército que abandonou sua posição para se juntar a guerrilha armada conta o regime militar.

Impedido de ir a público na véspera da abertura, a parceria entre Chico e o cineasta Ruy Guerra era dirigida por Fernando Peixoto e considerada uma das produções teatrais mais caras da época (cerca de 30 mil dólares) e empregava mais de 80 pessoas.

Além do veto, a peça ainda custou a liberdade de muitos participantes vigiados atentamente pelo regime após o incidente.

Aluizio Palmar

Aluízio Ferreira Palmar, nasceu em 24 de maio de 1943, em São Fidélis, Estado do Rio de Janeiro. Em sua juventude estudou na Universidade Federal Fluminense e, devido à sua militância revolucionária foi preso e banido do país, após ter sido trocado, juntamente com outros 69 presos políticos pelo Embaixador da Suíça no Brasil. Depois de passar oito anos entre o exílio e a clandestinidade, deu início, após a Anistia Política, a carreira jornalística que completou 50 anos.
Aluízio Palmar foi consultor da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão estadual da Verdade do Paraná, tendo seu trabalho de pesquisador dado origem ao site Documentos Revelados

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.