MR8 Repressão Torturadores Torturas

DIRETOR DE MANICÔMIO JUDICIARIO, ENVIOU PRESO POLÍTICO INTERNADO APÓS TORTURAS, PARA NOVO INTERROGATÓRIO

Durante a ditadura militar muitos presos políticos, após serem submetidas a torturas intensas,  foram internados em hospitais psiquiátricos, em consequência das horas pendurados no pau-de-arara e recendo choques elétricos e afogamento.

Alguns desses presos internados em manicômios, foram chamados para novos interrogatóriosm como é o caso de Paulo Roberto Benchimol;

O documentos em anexo, revela ofício do Diretor do Manicômio Judiciário Heitor Carrilho, encaminhando Benchimol para um novo interrogatório.

Paulo Roberto das Neves Benchimol, foi um ativo membro do MR8 (o primeiro, que foi criado em 1967, na cidade de Niteroi). Benchimol ficou preso na Ilha das Flores torturado, começou a ouvir vozes “dizendo que estava de volta para as mãos do diabo”. “A voz é parecida com um daqueles agentes que me interrogaram. Algumas vezes a voz falava diretamente com o agente, me acusando, no exato momento em que o interlocutor também me acusava”, disse Benchimol para os peritos que fizeram seu laudo psiquiátrico. Foi mandado para o Manicômio Judiciário, onde foi “submetido a um tratamento psiquiátrico intenso”, segundo laudo da época. Recebeu “uma série de oito eletrochoques

 

 

DIRETOR DE MANICÔMIO JUDICIARIO, ENVIOU PRESO POLÍTICO INTERNADO APÓS TORTURAS. PARA NOVO INTERROGATÓRIO

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.