Depoimentos Forças Armadas Militares Repressão

PRISÕES NO QUARTEL DO EXÉRCITO, EM QUITAÚNA, APÓS O GOLPE MILITAR DE 64. IPM QUE ENQUADROU SARGENTOS E SUBOFICIAIS. PARTE 3

Nessa parte, o encarregado do Inquérito Policial Militar, Tenente Coronel Sebastião Alvim, determina a prisão de 22 sargentos, todos lotados no Segundo Grupo de Canhões Noventa Milímetros Anti Aéreos.

Além de determinar as prisões, os encarregado do IPM estabelece que os sargentos fiquem incomunicáveis e emite mandados de busca e apreensão nas residências dos mesmos, além de convocar familiares e pessoas citadas para prestar depoimento.

PDFs

 PRISÕES NO QUARTEL DO EXÉRCITO, EM QUITAÚNA, APÓS O GOLPE MILITAR DE 64. IPM QUE ENQUADROU SARGENTOS E SUBOFICIAIS. PARTE 3a

 PRISÕES NO QUARTEL DO EXÉRCITO, EM QUITAÚNA, APÓS O GOLPE MILITAR DE 64. IPM QUE ENQUADROU SARGENTOS E SUBOFICIAIS. PARTE 3b

 PRISÕES NO QUARTEL DO EXÉRCITO, EM QUITAÚNA, APÓS O GOLPE MILITAR DE 64. IPM QUE ENQUADROU SARGENTOS E SUBOFICIAIS. PARTE 3c

Aluizio Palmar

Aluízio Ferreira Palmar, nasceu em 24 de maio de 1943, em São Fidélis, Estado do Rio de Janeiro. Em sua juventude estudou na Universidade Federal Fluminense e, devido à sua militância revolucionária foi preso e banido do país, após ter sido trocado, juntamente com outros 69 presos políticos pelo Embaixador da Suíça no Brasil. Depois de passar oito anos entre o exílio e a clandestinidade, deu início, após a Anistia Política, a carreira jornalística que completou 50 anos.
Aluízio Palmar foi consultor da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão estadual da Verdade do Paraná, tendo seu trabalho de pesquisador dado origem ao site Documentos Revelados

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.