Forças Armadas Repressão

DOCUMENTO DO EXÉRCITO COM A RELAÇÃO DOS BRASILEIROS ASILADOS NA EMBAIXADA DA ARGENTINA NO CHILE

Os militares brasileiros e seus aliados civis foram, ao lado dos Estados Unidos, os principais articuladores do golpe que derrubou o primeiro presidente socialista eleito pelo voto popular no mundo.

Documentos produzidos pelo Centro de Informações do Exterior (Ciex), o serviço secreto criado pelo Itamaraty em 1966 para auxiliar a ditadura brasileira a combater o chamado “perigo vermelho demonstram a proximidade entre a diplomacia brasileira e os militares golpistas chilenos, revelam que os exilados e banidos brasileiros no Chile tiveram todos seus passos monitorados pelo Ciex, a serviço do Serviço Nacional de Informação (SNI), o temido órgão central de inteligência do governo ditatorial.

O documento em anexo traz uma relação completa dos brasileiros asilados na Embaixada da Argentina em Santiago, numa prova inconteste da conexão entre os serviços de informação e repressão do Chile, Brasil e Argentina.

MINISTÉRIO DO EXÉRCITO

I EXÉRCITO

12OUTUBRO1973

ASSUNTO- ASILO DE BRASILEIROS NA EMBAIXADA DA ARGENTINA NO CHILE

SNI/ARJ

ENCAMINHAMENTO  104060

08OUTUBRO73

INFORME 2646

http://pt.scribd.com/doc/104466672

 

 

Aluizio Palmar

Aluízio Ferreira Palmar, nasceu em 24 de maio de 1943, em São Fidélis, Estado do Rio de Janeiro. Em sua juventude estudou na Universidade Federal Fluminense e, devido à sua militância revolucionária foi preso e banido do país, após ter sido trocado, juntamente com outros 69 presos políticos pelo Embaixador da Suíça no Brasil. Depois de passar oito anos entre o exílio e a clandestinidade, deu início, após a Anistia Política, a carreira jornalística que completou 50 anos.
Aluízio Palmar foi consultor da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão estadual da Verdade do Paraná, tendo seu trabalho de pesquisador dado origem ao site Documentos Revelados

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.