América Argentina Dissertacoes Paraguai Repressão

NARRATIVAS DA GUERRILHA NO FEMININO – CONE SUL 1960-1985

Narrativas da guerrilha no feminino (Cone Sul, 1960-1985)
Guerrilla narratives in the feminine (Southern Cone, 1960-1985)
Cristina Scheibe Wolff1
cristiwolff@gmail.com

Por meio da análise de trajetórias de mulheres militantes nos movimentos de
guerrilha de esquerda, pretendemos traçar uma perspectiva comparativa entre os países do
Cone Sul – Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai. Estes países foram marcados, nas décadas de 1960 a 1980, por ditaduras militares e por movimentos de guerrilha
de esquerda. Nessa espécie de nova esquerda, as mulheres desempenharam um papel mais
destacado do que na esquerda tradicional. A participação na guerrilha deu a muitas delas
legitimidade política para ações posteriores no âmbito da vida pública, mesmo que, muitas
vezes, essas ações tenham ocorrido no exílio. Para alcançar o objetivo proposto, utilizamos
entrevistas realizadas em pesquisa recente com mulheres dos diversos países do Cone Sul.
Nos relatos, são destacadas certas regularidades e semelhanças que nos devem fazer pensar
em um processo histórico que ultrapassava as fronteiras e que influiu de modo intenso nos
rumos políticos desses países.

PDFs

 NARRATIVAS DA GUERRILHA NO FEMININO - CONE SUL 1960-1985

Aluizio Palmar

Aluízio Ferreira Palmar, nasceu em 24 de maio de 1943, em São Fidélis, Estado do Rio de Janeiro. Em sua juventude estudou na Universidade Federal Fluminense e, devido à sua militância revolucionária foi preso e banido do país, após ter sido trocado, juntamente com outros 69 presos políticos pelo Embaixador da Suíça no Brasil. Depois de passar oito anos entre o exílio e a clandestinidade, deu início, após a Anistia Política, a carreira jornalística que completou 50 anos.
Aluízio Palmar foi consultor da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão estadual da Verdade do Paraná, tendo seu trabalho de pesquisador dado origem ao site Documentos Revelados

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.