GOVERNO DE JOSÉ RICHA (1982-1986), FOI ALVO DO SERVIÇO DE INFORMAÇÕES DA POLÍCIA FEDERAL

José Richa foi o primeiro governador do Paraná eleito após o início da redemocratização. Sua gestão foi democrática, e dela fizeram parte diversas lideranças políticas que participaram da Resistênca à ditadura. Esse fato levou com que os remanescentes órgão de informações da ditadura militar controlassem o governo e elaborassem informes.  

DIÁRIO DO NORTE DO PARANÁ, ÚNICO JORNAL PARANAENSE DE OPOSIÇÃO A DITADURA MILITAR

DIÁRIO DO NORTE DO PARANÁ: ÚNICO JORNAL PARANAENSE DE OPOSIÇÃO A DITADURA MILITAR Do mês de janeiro até o mês de setembro de 1977, uma equipe de jovens jornalistas escolhidos a dedo por um redator-chefe que por três vezes tinha sido preso pelos órgãos de inteligência e repressão(DOI-CODI e DOPS) do regime militar e que …

CONFLITOS ENTRE POSSEIROS E COLONIZADORAS NO PARANÁ, CASO DO BANHADÃO, MATELÂNDIA

Um dos principais conflitos entre posseiros e colonizadoras no Paraná, aconteceu nas localidades de Banhadão,  em fevereiro de 1966. Banhadão está situada no município de Matelândia, distante 75 quilômetros de Foz do Iguaçu. Um extenso relatório de autoria do Major Mozart Ferrante e do 2º Tenente Antônio Douglas, ambos da Polícia Militar do Paraná, registra …

DOCUMENTOS REVELAM A VISÃO DA DITADURA MILITAR SOBRE AS POPULAÇÕES ORIGINARIAS

Vários documentos do Departamento de Ordem Política e Social do Paraná. “Ainda hoje sabemos muito pouco sobre os crimes cometidos pela ditadura contra as populações indígenas. O mais importante documento de denúncia sobre esses crimes – o “Relatório Figueiredo” – foi produzido pelo próprio Estado brasileiro e ficou desaparecido durante 44 anos – durante todo …

RELATÓRIO FINAL DA COMISSÃO ESTADUAL DA VERDADE DO ESTADO DA PARAÍBA

“Ao longo dos quatro anos de trabalho, retirar do papel e edificar a Comissão Estadual da Verdade e da Preservação da Memória do Estado da Paraíba, não foi uma missão fácil. Foi necessário contar com o apoio de instituições e pessoas que colaboraram por meio das mais diversas formas. Em primeiro lugar nossos agradecimentos vão …

EDIÇÃO COMPLETA DO JORNAL PENSAMENTO ACADÊMICO, ÓRGÃO DE DIVULGAÇÃO DOS ESTUDANTES DA FACISA

O jornal Pensamento Acadêmico, órgão de divulgação do Diretório Acadêmico 7 de julho, em sua primeira edição destacou a luta dos estudantes da antiga Facisa  para a criação da Unioeste. O Diretório Acadêmico era dirigido por : Adão  Luiz Almeida (presidente), Fidel Alvarenga (vice-presidente, Ângela Papandrea (1ª Secretária), Diva Rocha (segunda-secretária), Rubens Postale (segundo-tesoureiro);  Georgen …

COMISSÃO ANÍSIO TEIXEIRA DE MEMÓRIA E VERDADE DA UNIVERSIDADE NACIONAL DE BRASÍLIA

UnB O Relatório da Comissão Anísio Teixeira de Memória e Verdade da Universidade de Brasília  é o resultados de suas atividades, que foram desenvolvidas entre agosto de 2012 e abril de 2015. Foram realizadas 46 tomadas de depoimentos, entre audiências públicas, testemunhos escritos e oitivas reservadas. Diversos fundos documentais foram consultados e muitas obras – …

PERSEGUIÇÃO AOS HOMOSSEXUAIS, NAS ARTES, NA ADMINISTRAÇÃO E ATÉ NOS QUARTÉIS

A ditadura militar, montou um aparato de controle moral contra os comportamentos sexuais, tidos como “desviantes”. Assim, homossexuais, travestis, prostitutas e outras pessoas consideradas “perversas”, ou “anormais”, foram alvo de perseguições, detenções arbitrárias, expurgos de cargos públicos, censura e outras formas de violência. Em anexo e no formato PDF, três documentos que ilustram o cenário mde …

AÇÃO POPULAR. DA JUVENTUDE CATÓLICA À OPÇÃO PELO MARXISMO-LENINISMO

  História da Ação Popular Em 2013 se comemorou os 50 anos de fundação da Ação Popular (AP). Ela teve importante papel na história da esquerda brasileira desde o período anterior ao golpe de 1964. Sua trajetória é bastante original. Nascida, fundamentalmente, pelas mãos de jovens cristãos socialistas – que procuravam um caminho alternativo entre …

MEMÓRIAS DA DOR. EM 1974, O ESCRITOR PAULO COELHO FOI PRESO POR ENGANO E SUBMETIDO A TORTURAS

  No dia 28 de maio de 1974 o escritor Paulo Coelho de Souza  foi preso por engano. No decorrer de uma investigação dos órgãos de repressão da ditadura militar, o escritor foi preso no lugar do militante do PCBR, Paulo Coelho Pinheiro. As desinformações e informações falsas geradas pela ditadura, levou com que algumas …