Foz do Iguaçu Paraguai Paraguaios

Visita do General Figueiredo desata repressão na fronteira

 

Às vésperas da visita do general João Batista Figueiredo à Foz do Iguaçu em 1982 desatou uma grande onda de repressões na fronteira. No dia 5 de novembro os ditadores Figueiredo e Stroessner iriam se encontrar para a abertura das comportas da Usina Hidrelétrica de Itaipu.

Corsino Coronel figura como um dos presos pela polícia política do strossnismo.  Ele  foi um dos fundadores das Ligas Agrárias Cristãs, do Paraguai. As LACs  eran organizações que tinham armazéns de consumo e praticavam a troca de produtos.

Elas se formaron em princípios dos anos 60, quando os agricultores decidiram melhorar suas condições de vida por meio da “união e solidaridade”.

Rapidamente elas se expandiram por todo o país e na década de 70 elas se constituiram em Confederação Nacional das Ligas Agrárias Cristãs. Elas criaram armazéns de consumo, trocavam produtos e não davam participação aos intermediários. Aos poucos foram ocupando os espaços antes monopolizados pelos chefes políticos stronistas, pelos presidentes das seccionais coloradas e pelos informantes da ditadura.

Todos estes trabalhos de conscientização e associação camponesa incomodavam fortemente o regime ditatorial, que desatou primeiramente uma repressão seletiva sobre os dirigentes e em seguida generalizou a todos os membros das Ligas.

A repressão foi violenta, cruel e sanguinária. Ocorreu na Semana Santa de1976. Muitos camponeses foram presos, mortos e desaparecidos. Corsino Coronel foi uma das vítimas da “blitzkrieg” da ditadura do general Alfredo Stroessner.

 

DOCUMENTOS REVELADOS

Itaipu Binacional

28SET1984

I/A/GS/D 1  N006

INFO DO FUNCIONARIO LUIS R. FRANCO

AO JEFE DE LA GUARDIA DE SEGURIDAD

ASSUNTO: INSCRICIONES OFENSIVAS CONTRA  EL PRESIDENTE DEL BRASIL Y REIVINDICACIONES SOBRE SALARIO,ESCRITOS POR LA PARED EN LA PLATAFORMA 127 DE LA CASA DE FUERZA DE LA M.D.

 

Informe do Diretor de Política e Afins, General Alberto Canteiros  ao Chefe do Departamento de Investigações, Pastor Coronel

24OUT1982

DPA 1290

 

ANEXO

Páginas 06 e 07, da edição n 331, de 21OUT88

“Ditadura de Stroessner no banco dos réus”

“Relatório da Comissão de Direitos Humanos da OEA traça um quadro negro sobre o Paraguai”

 

 

Aluizio Palmar

Aluízio Ferreira Palmar, nasceu em 24 de maio de 1943, em São Fidélis, Estado do Rio de Janeiro. Em sua juventude estudou na Universidade Federal Fluminense e, devido à sua militância revolucionária foi preso e banido do país, após ter sido trocado, juntamente com outros 69 presos políticos pelo Embaixador da Suíça no Brasil. Depois de passar oito anos entre o exílio e a clandestinidade, deu início, após a Anistia Política, a carreira jornalística que completou 50 anos.
Aluízio Palmar foi consultor da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão estadual da Verdade do Paraná, tendo seu trabalho de pesquisador dado origem ao site Documentos Revelados

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.