Dissertações e Teses

As barbas do vizinho em chamas: A Argentina nas páginas da revista Veja (1969-1976)

OLIVEIRA, Lucas Augusto Duarte de. As barbas do vizinho em chamas: a Argentina nas páginas da revista Veja (1969-1976). 2018. 127f. Dissertação (Mestrado em História Social) – Faculdade de Formação de Professores, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, 2018.
O presente trabalho busca analisar a cobertura internacional da Veja entre os anos de 1969 e 1976, especialmente nos momentos em que se dedicou a abordar questões relativas à situação política argentina e latino-americana. A nossa hipótese é a de que a revista, enquanto aparelho privado de hegemonia, tenha se utilizado desse espaço para desenvolver e difundir o seu programa político de forma exemplar à realidade brasileira. Assim, elaborando a imagem de uma América Latina caótica, de uma Argentina imiscuída em um cenário de corrupção e violência, o semanário procurou apontar rumos e sugerir soluções que, de forma ambígua, estiveram relacionadas com sua perspectiva editorial para o Brasil. Nesse contexto, manipulou um vocabulário grassado pelas premissas da Doutrina de Segurança Nacional que fundamentaram boa parte dos golpes militares e as consecutivas ditaduras instauradas no Cone Sul naquela ocasião, colaborando com seu alastramento. A partir dos aportes teóricos de Antonio Gramsci, Noam Chomsky e de trabalhos precursores fundamentais como os de Carla Luciana Silva e Edina Rautenberg, intentamos aprofundar aspectos essenciais da atuação de Veja enquanto sujeito interessado no estabelecimento e sustentação de regimes autoritários na região.

 

Enquanto a ditadura existia, seus defensores achavam que ela jamais acabaria. Sentiam-se felizes e tranquilos ao publicizar publicidades como esta, que legitimava o que todos sabiam, mas ninguém podia falar! Deixavam claro que o Brasil, que ensinou técnicas de torturas para outros países, torturava e se orgulhava disso. (CLS)


PDFs

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.