“APÓS AMEAÇA DE ESTUPRO, FUI COLOCADA NUA, NUMA CELA ESCURA QUE TINHA UMA COBRA JIBOIA”, RELATA MIRIAM LEITÃO

  Em dezembro de 1972, Miriam leitão e seu ex-marido Marcelo Neto, foram presos no centro de Vitória e levados para o 38 Batalhão de Infantaria, em Vila Velha. Na época tinha 19 anos e morava em Vitória. Estava grávida de seu filho mais velho, Vladimir Netto, e ficou detida por três meses. Nesse período …

FOTOGRAFIAS DA REPRESSÃO ENCONTRADAS NA MISSÃO DE BUSCA NO ARQUIVO DA POLICIA FEDERAL

INFORME DA MISSÃO DE BUSCA NO ARQUIVO DO DPF EM RECIFE Em novembro de 2015, Aluizio Palmar e  Maria Esperança, responsável pela Coordenadoria Regional do Arquivo Nacional no Distrito Federal – COREG, estiveram em missão na Superintendência Geral da Polícia Federal de Pernambuco. Participaram de uma reunião com a cúpula da PF. Presentes Diretor Geral, …

SOBREVIVENTE DA CHACINA DE RECIFE CONTA TUDO. ÁUDIOS DA ENTREVISTA COM IRMÃO DE SOLEDAD BARRET

  No dia 16 de novembro de 2008 fui procurado por Jorge Barrett, irmão de Soledad e sobrevivente da chacina ocorrida em Pernambuco onde morreram seis militantes da Vanguarda Popular Revolucionária – VPR. Na ocasião gravei uma longa entrevista com o Jorge. Segurei durante esses três anos e quatro meses esse material arquivado em fitas …

DOIS DOCUMENTOS IMPORTANTES SOBRE A LUTA DOS MINEIROS DE CRICIUMA E AS ATIVIDADES DO PCB

Na história do trabalhismo sindical dos mineiros de Criciúma, o período compreendido entre dezembro de 1957 a 31 de março de 1964 representa a fase de militância em defesa dos mineiros, ocasião em que as péssimas condições de trabalho são frequentemente denunciadas. O sindicato passa a ser visto como o veículo que acolhia as denúncias …

PROJETO MEMÓRIA. DEPOIMENTO DE VALDETAR DORNELLES, SOBREVIVENTE DA GUERRILHA DE TRÊS PASSOS

As mãos do ex-guerrilheiro Valdetar Antônio Dorneles ainda guardam as marcas da tortura praticada pela ditadura militar (1964-1985). Ele conta sua história como forma de preservar a memória contrária aos abusos praticados pelo regime.

CONFISSÕES DE UMA TORTURADORA DO DOI-CODI. REVELAÇÕES TENEBROSAS DA TENENTE NEUZA, DA EQUIPE DE FLEURI.

A tenente Neuza, entre outras confidências,  conta como os agentes do destacamento transportavam os corpos de militantes da Resistência à Ditadura mortas pelo DOI até a sede do Departamento.  Ela confirmou que o destino dos militantes que tivessem feito cursos de guerrilha no exterior e fossem apanhados pelo DOI era a morte. A mesma sentença …

VPR SP 1972. II AUDITORIA MILITAR. DOCUMENTO COM 676 PÁGINAS, CONTENDO MANDADOS DE PRISÃO, ATESTADOS DE ÓBITO, INTIMAÇÕES, PROCESSOS E SENTENÇAS . RECURSOS DOS ADVOGADOS

Trata-se de documentos diversos, arrolando militantes da VPR,  que fazem parte do acervo do STF e STM. O documento , num total de 676 páginas contem os atos jurídicos emitidos pelos tribunais de exceção e pelos advogados de defesa.   https://pt.scribd.com/document/562826079/VPR-SP-1972-Mandados-de-prisao-atestados-de-obito-intimacoes-processos-e-sentencas-II-Auditoria-Militar-Recursos-e-outros-atos-dos-advogados-de-de

DOCUMENTO DA AUDITORIA MILITAR DO II EXÉRCITO ANULANDO SENTENÇAS APÓS LEI DA ANISTIA POLÍTICA

Dando sequência ao ritual das Auditorias Militares, após a revogação da Lei do Banimento e da aprovação da Anistia Politica, os cartórios, advogados e  tribunais entraram no frisson de dar uma roupagem jurídica a possibilidade de retorno ao País dos presos políticos que foram libertados graças às ações de trocas por diplomatas. Até mortos e …

DOCUMENTO COM VERSÃO DO EXERCITO SOBRE A OPERAÇÃO QUE MATOU CARLOS MARIGHELLA

Vinte e três dias após a morte do líder revolucionário Carlos Marighella, a Segunda Seção do I Exercito, divulgou internamente, um extenso documento com a versão dos militares sobre a armadilha que foi montada em 4 de novembro na Alameda Casa Branca. Note-se na versão do I Exército, uma série de contrainformações e informações falsas, …

FALSO AGENTE DO SNI, FOI PRESO DANDO GOLPE DE ESTELIONATO EM COMERCIANTES DE JUIZ DE FORA

Durante os tenebrosos anos da ditadura militar, os agentes da repressão e da espionagem usavam e abusavam das carteirinhas que funcionavam como passaportes para regalias e arbitrariedades. Era comum os agentes usarem suas credenciais  para obter privilégios e até cometer estelionatos e chantagear as pessoas. O caso de Themistocles Soares Salles, que segue no documento …

EM 1977, DPF INVESTIGOU ATORES, ATRIZES, DIRETORES E PRODUTORES, DA ÁREA CULTURAL DE CURITIBA

Durante o período da ditadura militar que assolou o país, e principalmente após a publicação do Ato Institucional Nº 5 (AI-5) que dava totais poderes ao governo e retirava dos cidadãos todos os direitos, muitos cantores, compositores, atores e jornalistas foram “convidados” a deixar o Brasil. A repressão a produção cultural perseguia qualquer ideia que …