Dissertações e Teses Geral

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) e sua atuação junto aos movimentos sociais rurais nas décadas de 1970 e 1980 no Oeste do Paraná

“As intervenções em favor dos pobres, sejam posseiros, pequenos agricultores ou camponeses emergem em um período de nossa história em que velhos personagens entraram em cena: trabalhadores”.

 

O objetivo deste estudo é fazer uma análise da gênese e atuação da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e do seu papel junto aos movimentos de trabalhadores rurais. Em um trabalho ecumênico entre católicos e luteranos, a atuação da CPT teve relevância nas mobilizações reivindicatórias e de resistência durante a ditadura militar no Oeste paranaense. Busca-se identificar as críticas e as possíveis soluções direcionadas aos problemas que afligiram indígenas, pequenos agricultores, posseiros e trabalhadores rurais no processo de modernização econômica da última fronteira agrícola no Paraná, e compreender se a CPT exerceu uma função ideológica no direcionamento dos movimentos emergidos nas décadas de 1970/80.

Tese de doutorado. Maria José Castelano, PUCSP, 2018.

PDFs

 Tese sobre CPT

Aluizio Palmar

Aluízio Ferreira Palmar, nasceu em 24 de maio de 1943, em São Fidélis, Estado do Rio de Janeiro. Em sua juventude estudou na Universidade Federal Fluminense e, devido à sua militância revolucionária foi preso e banido do país, após ter sido trocado, juntamente com outros 69 presos políticos pelo Embaixador da Suíça no Brasil. Depois de passar oito anos entre o exílio e a clandestinidade, deu início, após a Anistia Política, a carreira jornalística que completou 50 anos.
Aluízio Palmar foi consultor da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão estadual da Verdade do Paraná, tendo seu trabalho de pesquisador dado origem ao site Documentos Revelados

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.