Dissertacoes

A repressão na Univ Federal de Goiás na Ditadura

A REPRESSÃO AOS ESTUDANTES, PROFESSORES E FUNCIONÁRIOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS DURANTE A DITADURA MILITAR (1964- 1979)

Esta pesquisa visa, sobretudo, compreender o contexto histórico em que o aparelho repressivo construído pelo regime militar se desenvolveu e de que forma ele atuou dentro da Universidade Federal de Goiás .Portanto, para entender o contexto histórico em que se insere o golpe militar brasileiro, buscamos entender primeiramente o processo de desenvolvimento do capitalismo monopolista no Brasil a partir da década de 50. Após o golpe militar, o governo inicia uma escalada repressiva contra os grupos de oposição ao governo. Estudantes, professores e funcionários “de esquerda” ligados às universidades figuravam entre os principais grupos que se opunham à ditadura e ousaram lutar contra ela. Por isso, o segundo passo dado por nós consistiu em uma tentativa de apreender a dimensão do movimento estudantil de esquerda nacional e regional, já que as universidades se tornaram lugares ostensivamente vigiados pelos órgãos de informações do regime militar. Com o crescente aumento dos grupos que lutavam contra o autoritarismo em vigor, principalmente após 1968, o governo procurou institucionalizar a repressão. O Ato Institucional n° 5 pode ser citado como um dos resultados dessa política, porém, dentro das universidades, a principal arma utilizada pelo governo para afastar os “subversivos” do local responsável pela formação das elites intelectuais, econômicas
e políticas do país, foi a aplicação do Decreto Lei n° 477. As Assessorias de Segurança e Informação também foram órgãos de informação criados dentro das
universidades para vigiar a comunidade acadêmica, responsáveis por guiar até mesmo a contratação de professores. Por fim, também descrevemos de que forma o governo militar planejava manter um “controle ideológico” dentro das universidades. Desta forma, conseguimos apontar quais foram os estudantes, professores e funcionários vinculados à UFG que foram perseguidos e/ou punidos, além de esclarecer quais eram as justificativas apresentadas pelo regime militar para a  realização de tais atos e captar de que forma os órgãos de repressão monitoravam a esquerda dentro da UFG.

Palavras-chave: Ditadura Militar Brasileira, Universidade Federal de Goiás,
Repressão, Assessorias de Segurança e Informações.

PDFs

 

Aluizio Palmar

Aluízio Ferreira Palmar, nasceu em 24 de maio de 1943, em São Fidélis, Estado do Rio de Janeiro. Em sua juventude estudou na Universidade Federal Fluminense e, devido à sua militância revolucionária foi preso e banido do país, após ter sido trocado, juntamente com outros 69 presos políticos pelo Embaixador da Suíça no Brasil. Depois de passar oito anos entre o exílio e a clandestinidade, deu início, após a Anistia Política, a carreira jornalística que completou 50 anos.
Aluízio Palmar foi consultor da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão estadual da Verdade do Paraná, tendo seu trabalho de pesquisador dado origem ao site Documentos Revelados

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.